Psicologia Clínica

O bem-estar e a tranquilidade interior são aspectos essenciais de uma vida saudável. O papel do Psicoterapeuta será o de apoiar a construção de caminhos para uma vida significativa, eficaz e feliz, acreditando na sua capacidade de se tornar o seu próprio agente de mudança, ao descobrir o seu potencial e atingir os seus objectivos. A missão será ajudar a desenvolver o seu autoconhecimento, através do crescimento e desenvolvimento pessoal, potenciando e reforçando os seus recursos. Promover o bem-estar e equilíbrio emocional, melhorando assim a sua qualidade de vida e a superação de dificuldades e obstáculos, com qualidade, competência e humanização, de forma a proporcionar um serviço profissional idóneo e credível.

Crianças

Consulta de Psicologia na Criança

A criança é acompanhada por uma Psicóloga experiente e certificada que, através de Ludoterapia, vai provocar mudanças na representação mental da criança e promover a sua organização emocional e relacional (adequação social, gestão de emoções, autoconhecimento, etc.).

Também a Habilitação Neuropsicológica será de primordial importância nesta fase de forma a promover a estruturação cerebral necessária às exigentes tarefas do quotidiano da criança (atenção e concentração, inibição dos impulsos, raciocínio numérico e lógico, etc.)

É ainda um espaço onde os pais poderão encontrar respostas sobre a melhor forma de lidar com os seus filhos de forma a permitir-lhes um desenvolvimento sócio-emocional saudável.

Áreas de intervenção:

Consultas de Aconselhamento Parental

  • Dificuldades de Aprendizagem (dislexia, discalculia, disortografia)

  • Hiperactividade e Deficit de Atenção

  • Comportamentos de Oposição

  • Estados Depressivos, Medos e Fobias

  • Ansiedade de Separação

  • Bullying e Agressividade

  • Perturbações do Espectro do Autismo

Avaliação Psicológica:

  • Avaliação Psicológica e Psicomotora do desenvolvimento infantil (1ª infância);

  • Avaliação Neuropsicológica e da Personalidade;

  • Avaliação de Prontidão Escolar (antes do ingresso escolar).

 

Adolescentes / Jovens

A Consulta de Psicologia no Adolescente/Jovem

A adolescência é uma etapa de conflitos e contradições para a maioria dos jovens porque já não se é criança mas também ainda não se é adulto. Os momentos depressivos são comuns nesta fase, fazendo parte do processo de desenvolvimento, embora, em certos casos, tomem proporções de grande sofrimento com sinais mais ou menos evidentes de alerta.

Na consulta do Adolescente é criado um espaço terapêutico que permite ao adolescente sentir-se acompanhado e compreendido e criando um ambiente favorável à reflexão e questionamento. A progressiva mudança interna favorecerá a resolução das suas problemáticas sócio-emocionais e cognitivas.

Áreas de intervenção:

  • Desenvolvimento Pessoal e do Autoconhecimento (Inteligência Emocional);

  • Dificuldades de Aprendizagem (Concentração, Atenção e Memória, Treino Cognitivo);

  • Orientação Escolar e Vocacional;

  • Perturbações do Comportamento (Toxicodependências, Ideação Suicida, Agressividade);

  • Perturbações do Comportamento Alimentar (Anorexia, Bulimia, Obesidade);

  • Depressão; Esgotamento (Burnout); Dificuldades de Relacionamento;

  • Ansiedade (Crises de Pânico), Medos e Fobias.

 

Adultos

Ainda existe o estigma de que a procura de um psicólogo só ocorre em situações limite e psicopatologia associada.
Os problemas da saúde psicológica têm um impacto enorme no nosso quotidiano, interferindo na capacidade de potenciarmos todos os nossos recursos na realização de tarefas do dia-a-dia/profissionais, na gestão de tempos livres e até na manutenção de relações interpessoais saudáveis.
Por este facto, a procura de um técnico especializado deve ocorrer também quando queremos entender os nossos sintomas emocionais, conflitos internos, desejos e escolhas, favorecendo o desenvolvimento psíquico de forma harmoniosa.

Avaliação e Aconselhamento Psicológico - Áreas de Intervenção:

  • Ansiedade, Fobia, Depressão
  • Instabilidade emocional decorrente de situações relacionais e afetivas

  • Queixas somáticas sem causa orgânica

  • Desejo de desenvolvimento pessoal

 

 

Actualizado a: 25 Setembro 2018