Nutrição Infantil

Uma Alimentação Saudável durante a infância é essencial para permitir um normal desenvolvimento e crescimento, podendo prevenir doenças associáveis à alimentação como a anemia, o atraso de crescimento, a desnutrição, a obesidade, a diabetes, as cáries dentárias.

O papel da família como educadora é inquestionável também na alimentação das crianças e jovens, a que se associa o papel da escola nos seus diferentes graus ao longo da vida estudantil, tanto mais importante quanto menor seja o nível socioeconómico da família.

A variedade na alimentação é a principal forma de garantir a satisfação de todas as ncessidades do organismo em nutrientes e de evitar o excesso de ingestão de eventuais substâncias com risco para a saúde como os doces e as gorduras.

As nossas crianças são cada vez mais expostas ao consumo de alimentos muito processados e por isso, menos saudáveis. Devem ser orientadas a aprender a apreciar os vários grupos alimentares da Roda dos Alimentos, não esquecendo a água.

Com a informática e o acesso fácil à informação, passamos muito tempo de forma sedentária, e as crianças não são exceção. Temos de promover a atividade física regular, também das crianças e jovens, e limitar o número de horas no computador, na televisão e nos vídeo-jogos.

  • O seu filho necessita de cuidados alimentares especiais?
  • Não consegue manter um peso desejável para o seu filho?
  • Será que o seu o meu filho tem o peso desejável para a sua idade?
  • Posso colocar um pacote de sumo todos os dias na lancheira do meu filho?
  • Qual é o limite do consumo de doces?
  • Quantas frutas, o meu filho, precisa de comer por dia?
  • E o leite, qual o mínimo necessário?
  • O meu filho não aceita verduras e agora?

A maioria dos pais, com certeza, já fez essas perguntas!

Uma consulta com a nutricionista ajuda a esclarecer estas e mais dúvidas, deixando os pais mais seguros para cuidarem da alimentação do seu filho, quer em casa, quer na escola.

A Consulta de Nutrição Pediátrica é indicada em situações como:

  • -Alergias ou intolerâncias alimentares;
  • -Má evolução ponderal;
  • -Obesidade;
  • -Doenças do comportamento alimentar (alimentação compulsiva / anorexia e bulimia);
  • -Diabetes.
Actualizado a: 27 Dezembro 2017